Blog Raízes

É endomarketing que fala?!

Endomarketing | 4 min de leitura

Publicado em: 25 de março de 2019
Escrito por:

Este não é apenas um artigo sobre o conceito de endomarketing, mas sim, sobre sua importância para as empresas enquanto ferramenta impulsionadora de sua marca e dos seus valores. Hoje, falar de endomarketing envolve muito mais do que a forma como uma empresa se comunica com seus colaboradores. Envolve também um amplo conhecimento de neurociência e comportamento, além das estratégias de comunicação, liderança e ações internas desenvolvidas.

Neste post, vamos apresentar as principais diretrizes do endomarketing sob a ótica do marketing 4.0. Ou seja, no marketing interno que visa melhorar sua participação nas contribuições econômicas, sociais e ambientais para promover o bem-estar das pessoas e do planeta.

Por que falar de endomarketing?

Para iniciar nosso raciocínio, é necessário entender que os principais clientes de uma empresa são os seus colaboradores. Dessa forma, eles também podem ser chamados de clientes internos.

São eles, os colaboradores, que desenvolvem e fabricam os produtos dentro de uma empresa. E são eles também, na maioria das vezes, os principais canais de comunicação com os clientes. Além de, em muitos casos, serem também seus consumidores.

“Trate sempre seus funcionários exatamente como quer que eles tratem os seus melhores clientes”, já dizia Stephen Covey, escritor administrativo de Os Sete Hábitos das Pessoas Altamente Eficazes.

Por isso, investir em estratégias para fidelizar seu público interno é também um ótimo meio para melhorar a eficiência e fidelização de sua marca no mercado. Além disso, o endomarketing tem a potência de reduzir o índice de rotatividade (ou turnover) de uma equipe.

Ao mudar a percepção que o colaborador tem da empresa, ou marca, para uma visão mais humana, desenvolve-se também um sentimento de pertencimento dentro da equipe. E ainda, esses sentimentos extrapolam o marketing organizacional como uma forma promocional muito mais eficaz e verdadeira.

Porém, engajar os colaboradores e torná-los promotores da marca da empresa e de seus valores, pode ser um desafio grande. É aí que entra o endomarketing, ou marketing interno, como também pode ser chamado.


Endomarketing: de individual a social

Segundo as definições de “Marketing 4.0” do escritor Philip Kotler, o endomarketing está se tornando uma poderosa ferramenta de motivação para os colaboradores de uma empresa.

Por isso, a adoção de ações que priorizam a horizontalidade das relações, do exclusivo e individual para o inclusivo e social, tornaram-se fundamentais para o sucesso de qualquer equipe.

Colaboração é a palavra da vez. E até mesmo as macroestruturas de poder das grandes nações estão passando por modificações neste sentido. Onde, a internet é, certamente, o agente catalizador destas mudanças.

Junto a esse avanço estrutural e de comunicação, o endomarketing tem encontrado um grande suporte também na neurociência.

A neurociência trouxe ao endomarketing vários aprendizados e reflexões acerca de como vivemos, como administramos nossas empresas e, principalmente, como estamos lidando com as pessoas dentro destas organizações.


A arte de engajar

Como os principais clientes de uma empresa estão tão diretamente ligados a ela, imaginamos que inseri-los na cultura da empresa seja um trabalho simples de comunicação. Porém, a arte de engajar vai muito além da forma como a empresa se comunica com seus funcionários, colaboradores e fornecedores.

Um exemplo atual e bem-sucedido de endomarketing é o da rede de lojas do Magazine Luiza. Através da administração participativa e de uma comunicação empática com seus funcionários, a empresa passou a ser muito mais reconhecida por seus clientes, que são também seus fiéis defensores no mercado.

Hoje, diferentes pensamentos sobre marketing interno, como os presentes no livro Endomarketing Inteligente – a empresa pensada de dentro para fora, do autor Daniel Costa, sugerem que: à medida que as pessoas estabelecem relações mais afetivas, ocorre um aumento na produtividade da equipe.

Então, o endomarketing, acompanhando estas descobertas e avanços, tem se dedicado à fidelização de seus colaboradores, onde, dentro das ações na arte de engajar do marketing interno, estão envolvidos os colaboradores, terceirizados, investidores, sócios, parceiros e, também, o meio ambiente.

O endomarketing de agora entende que quando o indivíduo está em um ambiente motivador sua produtividade e comprometimento são muito maiores. Pois quando ele sente que a empresa preza seu bem-estar, sua motivação e apreço por ela também aumentam. E com isso, a rotatividade tende a diminuir.

É neste sentido mais amplo que muitos autores sobre marketing têm se dedicado a falar sobre endomarketing. Descrevendo-o como um processo contínuo que se apoia em ferramentas multidisciplinares, para garantir suas estratégias, melhorarando seus resultados econômicos e, principalmente, humanos.

Quer alcançar o endomarketing ideal na sua empresa? Entre em contato com a Álamo.


Tags:

Compartilhe:

Mantenha-se informado com as nossas
notícias de comunicação e inovação.

Deixe seu contato para receber conteúdos novos.

Participe: